.

terça-feira, 3 de maio de 2016

BENÉ LÁ!

   Projeto  "Benê Lá" leva choro e poesia ao Mercado de Peixes

A Fundação Macaé de Cultura (FMC) a partir desta quarta (4), inicia o projeto" Benê Lá", das 17h 
às 19h na Praça Jorge Martins, próximo ao Mercado Municipal de Peixes. O objetivo é levar a cultura, valorizando vida e obra do artista macaense e, nesta primeira edição, vai ser mais longo, começando às 15h.

O homenageado desta edição é Benedito Lacerda, um dos flautistas mais famosos e inovadores da música brasileira, além de compositor de mão cheia. O músico acompanhou estrelas como Carmen Miranda, Mário Reis e Francisco Alves, se tornou parceiro de Pixinguinha, tendo se destacado compondo famosos choros e músicas para o carnaval. 

No local, o público presente vai poder ouvir Choro gravado tocando na primeira hora, logo em seguida entra a  Banda da Educação e também o Grupo de Choro da Escola Municipal de Artes Maria José Guedes (EMART), mantida pela FMC.

Além das atrações musicais, o público também conhecerá um pouco da história do Benedito Lacerda contada pelo regente e músico Bruno Py, professor da EMART, e o poeta e jornalista Gerson Dudus completará com belas poesias sobre o tema.

- A cultura tem que ir aonde o povo está, e levar ao conhecimento do público de forma leve e divertida a história do artista macaense. Esse é o verdadeiro objetivo do projeto - enfatiza a presidente da FMC, Tânia Jardim.

Benedito Lacerda começou a tocar flauta transversa aos 8 anos, de ouvido, entrando bem cedo para a banda da Sociedade Musical Nova Aurora, em Macaé. Em 1920, chega ao Rio de Janeiro já com 
uma experiência extensa como músico de bandas e dois anos depois, ingressa na banda do exército. Morando no Estácio – bairro de sambistas e chorões – , trava contato com o tipo de música que viria a marcar a sua vida profissional. Antes dos 20 anos de idade, matricula-se no Instituto Nacional de Música, diplomando-se em flauta e composição. Em 1927, pede baixa e passa a se dedicar  profissionalmente à música, tocando em orquestras de cinemas e teatros, e filiando-se ao conjunto regional Boêmios da Cidade.


Por Mônica Braga



terça-feira, 15 de setembro de 2015

Encontro dos Artistas - O Encontro que Virou Evento

E Aconteceu o Evento...


"Chove chuva, chove sem parar, chove chuva, chove sem parar...
Pois eu vou fazer uma prece pra Deus nosso senhor..."

Jorge Ben Jor

Foi nesse ritmo de chuva que aconteceu no último domingo, 13, no Dr Jacarandá, o tão esperado Encontro dos Artistas. Onde pudemos ver e ouvir os melhores músicos de nossa região. E a chuva forte virou apenas cenário! 

Gente bonita (de corpo e alma), uma boa cachaça, feijoada... músicos encantadores, mestres na arte, o diferente e o igual num só tom, numa só melodia... 

Em cada estilo musical a marca do artista... e em cada artista um poema, um sorriso... imagine então... mil poemas com mil sorrisos num palco só??!! Simplesmente EMOCIONANTE! Nunca vi coisa igual! E a plateia cantava como num coro... cantava e se encantava com o show.... e que show!!! 

Palavras? São poucas! Nem a melhor delas definirá esse encontro! 
Atenção, já que virou Evento, outros desse acontecerão, pois não há porquê deixar isso tudo por aí... E a proposta cresce, esse Evento se fez sem qualquer pretensão de outra ideia a não ser a cultura pela cultura. Queremos isso, Valorização dos nossos músicos, e também do nosso público, queremos mais cultura, merecemos o melhor! 

Parabéns a todos os envolvidos, o espaço, os artistas, os organizadores, o público. Estar nesse Evento foi como ler um poema de Drummond, beber a melhor cachaça, sorrir em nascimento de filho... estar com vocês... foi infinitamente belo... como belo é o sorriso de cada um... sorrisos em tons diferentes numa sintonia única... !!!

Choveu???? Não percebi...

Mônica Braga